Perguntas Frequentes

Análises Clínicas

A alimentação também interfere nos resultados de colesterol e triglicéridos?

Sim, mas principalmente no de triglicéridos. Por exemplo, uma pessoa com triglicéridos elevados e que adopta uma dieta rígida na véspera do exame terá um resultado falsamente baixo. Já alguém com triglicéridos normais, mas que come uma feijoada no dia anterior, apresentará resultado falsamente alto.

 

A aspirina altera os resultados dos exames?

Sim. Aspirina é o nome popular do ácido acetilsalicílico. Ele está presente em muitos analgésicos e antipiréticos. Por isso registe: todos os medicamentos com ácido acetilsalicílico interferem nos exames de coagulação do sangue. Em altas doses, podem diminuir os valores totais de tiroxina ou T4, uma das hormonas tiroideias.

 

A menstruação interfere nos exames?

Sim, por exemplo, no exame de urina. Por isso o ideal é fazê-lo fora do período menstrual. Mas, se for urgente, a urina pode ser colhida, adoptando-se dois cuidados: assepsia na colheita e o uso de tampão vaginal, para o sangue menstrual não se misturar com a urina.

 

A Mulher menstruada pode fazer exames laboratoriais ao sangue?

Sim, qualquer um deles. Porém, diversas hormonas e algumas proteínas séricas variam durante o ciclo menstrual. Portanto, é fundamental que o médico saiba em que período do ciclo o seu exame foi realizado.

 

A urina só pode ser colhida no laboratório?

Depende do tipo de exame. Para cultura, o ideal é que a urina seja colhida no posto de colheita/laboratório. Já a urina tipo II, que é a mais comum, pode ser colhida em casa.

 

Água “quebra” o jejum?

Não. Mas convém tomá-la com moderação. O excesso interfere nos exames de urina.

 

Alguns médicos dispensam jejum para alguns exames e pelas instruções do Laboratório é necessário fazê-lo. Que orientação seguir?

A boa prática laboratorial recomenda que, para a maioria dos exames de sangue, a colheita seja realizada após um período mínimo de quatro horas de jejum, para o indivíduo adulto.

Crianças e recém-nascidos devem ter este prazo reduzido ou até mesmo abolido, dependendo de cada situação clínica. Para cada exame, porém, pode haver necessidade de orientação específica, pois a concentração das substâncias absorvidas, como a glicose, por exemplo, varia de acordo com o tempo após a ingestão do alimento.

Em contrapartida, um tempo de jejum muito prolongado também causa variações. Cada paciente, cada exame e cada situação devem ter as suas particularidades analisadas de forma a se obter o maior grau de confiabilidade dos resultados. Em caso de dúvidas, siga a orientação do Laboratório

 

As análises ao sangue têm que ser sempre em jejum?


Nem todos. O hemograma simples, por exemplo, dispensa o jejum. Já a glicemia e triglicéridos exigem que fique várias horas sem comer. O tempo de jejum varia de acordo com o exame. Caso tenha dúvidas, contacte-nos na unidade cmm que pretende efetuar a sua colheita e peça para falar com um(a) enfermeiro(a).

 

As análises ao sangue têm que ser sempre em jejum?


Nem todos. O hemograma simples, por exemplo, dispensa o jejum. Já a glicemia e triglicéridos exigem que fique várias horas sem comer. O tempo de jejum varia de acordo com o exame.

 

Colher sangue é doloroso?


Normalmente, não, pois o procedimento dura segundos. Mas isso depende da sensibilidade de cada paciente e da destreza do técnico que colhe.

 

Como tem que ser a alimentação para os resultados de triglicéridos serem confiáveis?

Você deve manter a sua dieta habitual nos 5 dias que antecedem os exames. É fundamental jejum de 12 a 16 horas para a colheita do sangue.

 

Cremes e óvulos vaginais interferem no exame de urina?

Não, desde que se adoptem dois cuidados para não misturar esses medicamentos à urina: assepsia na colheita e uso de tampão vaginal.

 

E fumar antes de fazer exame?

A nicotina interfere nos testes de agregação plaquetária e na curva de glicêmia. Nestes casos, não fume no dia previamente ao exame.

 

É mesmo necessário seguir a dieta do laboratório para fazer uma curva de glicémia?

Se a dieta for muito pobre em hidratos de carbono, presente em alimentos como massas, açúcar e doces, a resposta do paciente pode mostrar um perfil mais alterado do que se ele tivesse uma dieta normal.

 

E o álcool pode alterar resultados de exames?

Sim, especialmente o de triglicéridos. Uma dose de uísque, uma cerveja ou um copo de vinho na véspera é suficiente para elevar os seus níveis, falseando os resultados. Por isso, o ideal é, antes do exame, ficar três dias sem ingerir qualquer bebida alcoólica. Importante: o álcool também altera o colesterol, mas pouco.

 

E para colher o exame de fezes, é necessário estar em jejum?

Não. Também não precisa ser a primeira defecação do dia. Isso vale para todos os tipos de exame de fezes. Detalhe: para a comodidade do cliente é melhor o material ser colhido em casa, num frasco apropriado, fornecido pelo laboratório.

 

É prejudicial fazer colheita de sangue de crianças repetidas vezes?

A colheita de sangue significa realizar a punção de uma veia – ou em situações especiais, de uma artéria – para a obtenção de um volume de sangue para a realização de exames de laboratório. Algumas vezes, é possível obter o volume necessário por punção digital ou de calcanhar.

Em todas as circunstâncias, a pele é puncionada, o que significa um pequeno trauma e uma lesão. Há um pequeno desconforto e um potencial risco de contaminação.

Dessa forma, os cuidados implicam em fazer uma assepsia adequada no local da punção e o uso de instrumentos – agulhas e/ou lancetas – esterilizadas. Além disso, a prática e destreza do pessoal de colheita são importantes.

Repetir o processo várias vezes, evidentemente, não é adequado, pelo que deve haver cuidado em relação ao volume de sangue colhido. Quanto menor a criança, menor o volume de sangue existente, e, proporcionalmente, maior o volume colhido.

 

Exames que requerem jejum têm de ser feitos sempre de manhã?

Nem todos. Desde que obedeça ao tempo estipulado de jejum, alguns podem ser colhidos inclusive à tarde, sem problemas.

 

Há alguma incompatibilidade entre as vitaminas e os exames laboratoriais?

Sim, pois elas também interferem com certos exames. Por exemplo, a vitamina C altera a determinação da creatinina. Já a vitamina E interfere nos testes de agregação plaquetária.

 

No caso de exame de urina tipo II, tem que ser a “primeira da manhã”?

Somente se o seu médico solicitar. Se isso não acontecer, a urina poderá ser colhida em qualquer horário do dia, mas com um cuidado antes do exame: de preferência, permanecer duas horas sem urinar.

Dará o volume ideal para uma boa colheita. O ideal é que seja colhida em frasco apropriado, fornecido pelo laboratório ou adquirido na farmácia.

 

O atendimento é preferencial para crianças, idosos e gestantes?

O atendimento de gestantes, idosos e crianças é prioritário. No entanto, em algumas situações, é necessária a presença de profissionais mais especializados (área infantil, área ginecológica) causando, algumas vezes, uma certa demora.

 

O esforço físico atrapalha os exames laboratoriais?

Alguns, sim. Por exemplo, o doseamento de glicemia e o doseamento de factor VIII de coagulação. Tanto que, antes de fazê-los, você não pode ter-se submetido a qualquer esforço físico. Além disso, lembre-se: os exames laboratoriais são padronizados para a realização em condições ideais, bem definidas. São as chamadas condições basais. Em consequência, exames feitos após esforços físicos terão eventualmente valores diferentes dos que você tem em condições basais.

 

O que é a dieta habitual exigida por certos exames?

É a que você costuma comer no seu dia-a-dia. Portanto, essa instrução significa apenas o seguinte: não mude a alimentação.

 

O que é um antibiograma?

Antibiograma é um exame cuja finalidade é verificar quais são os antibióticos mais indicados para o tratamento da infecção causada pela bactéria isolada no material clínico analisado. Por este teste, ficamos a saber quais são os antibióticos a que a bactéria é sensível e a quais é resistente.

 

Os Medicamentos interferem nos exames Laboratoriais?

Alguns, sim. Os antibióticos e os antiinflamatórios, por exemplo, interferem nos testes de coagulação do sangue, normalmente solicitados em pré-operatórios. Portanto, quaisquer que sejam os medicamentos que esteja a tomar, avise o(a) enfermeiro(a) antes da colheita. Caso um deles interfira, você terá que conversar com o seu médico sobre a possibilidade de suspendê-lo por alguns dias. Se a interrupção não for possível, esse dado terá que ser levado em conta na avaliação do resultado.

 

Outra pessoa poderá ter acesso aos meus resultados sem autorização?

Não. Apenas alguém autorizado pode ter acesso aos resultados. Evidentemente, existem casos excepcionais que serão analisados pelo médico responsável.

 

Para o exame parasitológico de fezes a primeira amostra deve ser colhida sem laxante?

A primeira amostra do exame Parasitológico de fezes seriado deve ser colhida sem uso de laxante para que o material fecal possa ser avaliado macroscopicamente (para verificar presença de muco, pus, sangue etc.) e também para poder ser realizada uma técnica de pesquisa de larvas de um determinado parasita na qual há necessidade das fezes não estarem semi-líquidas/líquidas.

 

Podem-se fazer analises ao sangue com gripe, constipação ou febre?

Sim. Alguns exames, aliás, são solicitados precisamente porque a pessoa está com febre. A intenção pode ser verificar se alguma infecção é a responsável. Porém, em algumas circunstâncias, a doença responsável pela febre pode interferir nos exames destinados a avaliar aspectos metabólicos e imunológicos. Por precaução, consulte o seu médico ou o laboratório antes de fazer o exame.

 

Por que devemos desprezar o primeiro jacto de urina quando vamos fazer um exame bacteriológico à urina existente na bexiga?

O primeiro jacto de urina traz células e secreções que podem estar presentes na uretra, principalmente se existir um processo inflamatório e/ou infeccioso chamado uretrite. Quando se está preocupado com uma possível infecção urinária da bexiga (cistite), é importante que o material examinado não seja “contaminado” com o que estiver na uretra. Daí a necessidade de desprezar o primeiro jacto e colher o jacto médio, ou seja, uma urina que representa bem a existente na bexiga.

 

Por que é feita a contagem de glóbulos brancos? A contagem específica não é mais importante?

ara que se tenha uma ideia da quantidade de cada um dos tipos de glóbulos brancos circulantes é importante termos a contagem global e a específica. Algumas doenças podem causar alterações em tipos específicos de glóbulos brancos. Assim, é importante saber qual o aumento ou a diminuição observados em cada tipo de glóbulo branco.

 

Por que é que a aspirina não consta na lista de medicamentos que interferem no exame Tempo de Protrombina?

Porque ela não interfere nos factores da coagulação que são avaliados neste teste. A aspirina interfere no sistema da coagulação, apenas como antiagregante das plaquetas.

 

Por que é que o esforço físico interfere no doseamento da glicemia?

A glicemia reflecte a quantidade de açúcar no sangue que, por sua vez, é uma fonte de energia de rápido aproveitamento pelo organismo. Dessa forma, sempre que o organismo precisar de mais energia, por exemplo em esforço físico e stress, há alterações importantes nas velocidades de produção e consumo de açúcar. A maioria das vezes em que se faz exames de doseamento da glicémia, queremos saber como está o nível basal, pois o valor de referência diz respeito a esta situação. Portanto, a pessoa deve estar o mais próximo possível desta condição.

 

Por que é que quando se tira sangue para exame, às vezes o local fica arroxeado?

Essa cor arroxeada é um hematoma: saída do sangue para fora da veia. Ele pode ocorrer em determinadas situações, tais como: veias finas, delicadas, com muita pressão; falta de boa compressão no local da punção; e paciente usando algum medicamento que altera a coagulação do sangue, entre os quais a aspirina.

Não tem gravidade e desaparece ao fim de alguns dias. Se necessário poderá ser observada pelo médico patologista clínico que tomará as disposições adequadas.

 

Por que não se deve ingerir grande quantidade de bebidas alcoólicas para realizar exame de sangue oculto nas fezes?

A pesquisa de sangue oculto nas fezes é utilizada para auxiliar o diagnóstico de doenças do intestino (especialmente do colo), em que exista sangramento. Como o álcool é um irritante gástrico, podendo causar sangramento do estômago por irritação, a ingestão de álcool em grande quantidade é desaconselhada para quem vai fazer este tipo de teste.

 

Por que não se deve tomar laxante na véspera de uma curva de glicémia?

Não se deve tomar laxante pois ele provoca um aumento de velocidade do trânsito intestinal, com modificação da absorção. Como a absorção de glicose é a base do teste, este pode ser prejudicado.

 

Por que se recomenda realizar exames hormonais conforme o ciclo menstrual?

A recomendação é feita para os hormônios que sofrem flutuação conforme o dia do ciclo, como o LH, FSH, estradiol e progesterona.

 

Qualquer exame pode ser feito à tarde?

Alguns, não. É o caso dos doseamentos de cortisol, ferro e ACTH (adrenocorticotrofina). Esses exames devem ser realizados obrigatoriamente na parte da manhã. Motivo: é nessa parte do dia que tais substâncias têm um pico no organismo, devido ao seu ritmo circadiano.

 

Quando fizer exames poderei ter acesso aos resultados pelo telefone ou internet?

Os resultados podem ser dados por telefone somente pelo médico patologista clínico , fax, correio ou internet, desde que autorizado pelo paciente no momento da abertura da ficha.

Provas Funcionais Respiratórias

O que são Provas Funcionais Respiratórias?

São um conjunto de exames não invasivos que permitem avaliar a função respiratória através de manobras respiratórias. São importantes no apoio ao diagnóstico e acompanhamento de patologias respiratórias como asma ou DPOC. São igualmente importantes no estudo pré-operatório, na avaliação do efeito da exposição ocupacional a alérgenos e partículas nocivas e ainda no acompanhamento da prática de desporto.

São exames simples e indolores, requerem a sua colaboração e não necessitam de qualquer preparação específica.

O que estudam as PFR?

A forma como se processa a respiração, nomeadamente:

  • Os volumes e débitos pulmonares;
  • As resistências brônquicas;
  • A eficácia da ventilação pulmonar;
  • As trocas gasosas; a reatividade das vias aéreas.

Quando deve fazer o exame?

Naturalmente que essa deve ser uma decisão do seu médico, na presença de determinadas condições que ele conhece. Mas as seguintes, são fortes indicadores para a realização do exame:

  • Quando é ou foi um fumador;
  • Quando tem tosse frequente;
  • Quando se cansa com facilidade (por exemplo a caminhar);
  • Quando já faz tratamento para doença respiratória.

Quais são as PFR disponíveis?

  • Espirometria;
  • Prova de Broncodilatação;
  • Difusão (DLCo);
  • Capacidade Residual Funcional;
  • Prova de Provocação por Esforço.

Estes exames têm contra-indicações?

Não deverá realizar PFR se:

  • Foi submetido a cirurgia cardíaca há menos de 1 mês;
  • Sofreu um enfarte agudo do miocárdio há menos de um mês;
  • Foi submetido a cirurgia torácica, abdominal ou oftalmológica  há menos de 1 mês;
  • Embolia Pulmonar recente.

Estes exames requerem alguma preparação específica? 

Antes da realização de PFR deverá cumprir as seguintes instruções:

  • Não fumar nas 24 horas antes do exame;  
  • Não fazer uma refeição copiosa antes do exame; 
  • Não consumir café, chá ou bebidas alcoólicas antes do exame;
  • Não efetuar exercício vigoroso antes do exame;  
  • Usar roupa confortável no dia do exame.

Se fumar, não o deverá fazer nas 4h precedentes à sua marcação.

É necessário estar em jejum para realizar o exame?

Não é necessário, nem recomendável, estar em jejum para a realização do exame. Evite apenas fazer uma refeição, que não ligeira, nas 2h que antecedem a marcação.

Faço medicação respiratória (inalador/ “bomba”) diariamente, posso tomá-la no dia do exame? E a restante medicação.

Salvo indicação em contrário do seu médico, deverá suspender a terapêutica inalatória entre 6h a 48h, sempre que possível. Em caso de dúvida, deverá falar com o médico que solicitou o exame.

Mantenha a restante medicação habitual.

De que consta o exame?

Nestas provas vão solicitar-lhe que respire pela boca através de um bucal, de forma a podermos conhecer as quantidades de ar que respira e a maior ou menor dificuldade com que o faz.

Enquanto respira, o técnico que realiza o exame vai recolhendo um conjunto de dados, que ajudarão o seu médico a perceber se tem alguma alteração brônquica/pulmonar, que justifique determinados sintomas, ou que avalie um tratamento que esteja a fazer.

Qual a duração do exame?

A duração do exame é variável, demorando em média 15 a 30 minutos.

Teleconsulta

Perante a situação de pandemia COVID-19 (Coronavírus) o CMV disponibilizou o serviço de Teleconsulta permitindo o acesso a cuidados de saúde à distância e evitando a necessidade dos nossos utentes se deslocarem, especialmente num período em que o contacto social deve ser restringido ao máximo.
Principais Questões:
A quem se destina a teleconsulta?
A teleconsulta destina-se a todos os utentes que precisam de cuidados de saúde, mas estão limitados nas deslocações.
Quando é indicada a teleconsulta?
A teleconsulta tanto está indicada para primeiras consultas como para subsequentes.  Embora exista a limitação de não ser possível a realização de um exame físico ou da medição de alguns valores (como por exemplo tensão arterial) é possível realizar este tipo de consulta, para algumas especialidades, com sucesso. Este tipo de consulta permite:
  • Esclarecimento de dúvidas;
  • Avaliação de exames ou análises clínicas;
  • Renovação ou atualização prescrição médica;
  • Acompanhamento de doenças crónicas.
Estas consultas têm comparticipação de seguros de saúde?
De momento não temos acordo seguradoras ou subsistemas contudo, poderá proceder ao envio da Fatura-Recibo solicitando o seu reembolso (sujeito às condições do seu contrato ou clausulado de adesão).
Que especialidade estão disponíveis para Teleconsulta?
De momento temos ao seu dispor em Teleconsulta várias especialidades, são elas:
  • Cardiologia
  • Clínica Geral
  • Dermatologia
  • Medicina Física e Reabilitação
  • Ortopedia
  • Psicologia
  • Reumatologia
Qual a duração de uma consulta via Teleconsulta?
A duração das teleconsultas tenderá a ser a mesma da consulta presencial.
Como recebo a prescrição de medicamentos e exames?
A prescrição quer da medicação quer de exames poderá ser enviada por email ou sms.
Como envio os meus exames ou análises clínicas ao médico?
No primeiro contacto deve mencionar que tem exames para mostrar ou análises clínicas para mostrar. Estes deverão ser enviados previamente, através do email designado por um membro da nossa equipa.
O médico/clínico consegue aceder ao meu histórico clínico?
Sim. Se for uma consulta subsequente o médico/clínico tem acesso ao seu historial clínico. Se for uma primeira consulta os dados recolhidos ficam registados no seu processo clínico e disponíveis para uma próxima consulta.
A teleconsulta é confidencial?
Sim, os participantes na teleconsulta são apenas o médico/clínico e o utente não havendo qualquer tipo de gravação sem o seu consentimento prévio.
O que necessito para fazer uma teleconsulta?
Para a realização de uma teleconsulta necessita de um dispositivo como um computador, tablet ou telemóvel com microfone e ligação à Internet e preferencialmente com câmara.
A Teleconsulta
Como posso agendar uma teleconsulta?
Pode agendar a sua teleconsulta comodamente através de: Opção A 💻 Site: www.cmv.pt/marcacao-online/teleconsulta Na página de marcações online deve selecionar o botão Especialidades e na clínica pretendida escolher a opção CMV-Teleconsulta. Posteriormente deve selecionar a especialidade que pretende no campo Especialidade Pretendida e caso  tenha preferência pode selecionar o Médico ou um Profissional Superior de Saúde no campo Profissional Pretendido. Por fim basta preencher os seus dados pessoais e enviar-nos o email.   Após a recepção do seu pedido de agendamento da teleconsulta será contactado por um membro da nossa equipa para efetuar o agendamento. Se preferir pode clicar no botão abaixo:   Opção B 📩 Email: teleconsulta@cmv.pt Pode solicitar o agendamento da teleconsulta enviando-nos um email. Neste email, para além dos seus dados pessoais (nome, Nif e contacto de telemóvel) deve indicar-nos qual a especialidade pretendida e qual a melhor hora de contacto. Após a recepção do seu pedido de agendamento da teleconsulta será contactado por um membro da nossa equipa para efetuar o agendamento.   Opção C 📞Telefone: 232460348 (custo de uma chamada local) Pode solicitar o agendamento da teleconsulta através do nosso número fixo disponibilizado para este efeito. Esta linha telefónica encontra-se disponivel de 2ª feira a sábado das 8h00 às 21h00.
Como efetuo o pagamento da teleconsulta?
Pode efetuar o pagamento das teleconsultas através de:
  • Referência Multibanco (MB)
  • MBWay
Após o agendamento da consulta receberá um email com as referências para pagamento. Após boa cobrança será notificado com a confirmação do agendamento da consulta. Este processo é muito rápido.
Como acedo à teleconsulta?
Após confirmação do agendamento, receberá um email (e sms se solicitar) com as instruções para entrar na teleconsulta. Bastará clicar nesse link para entrar no consultório virtual, uns minutos antes da hora da consulta. Antes da hora da consulta deve assegurar-se que tem boa ligação à internet, bateria carregada ou ligação direta à corrente e que, quer o microfone quer a câmara estão ligados. Aguarde que o médico/clinico entre no consultório virtual. Se até 10minutos depois da hora marcada o seu clínico não entrar no consultório virtual consigo, queira por favor contactar-nos novamente. Após a realização da consulta não de esqueça de desligar a plataforma utilizada, fechando a janela do seu browser/aplicação.