A Terapia Ocupacional e a Infância

Autor

Publicado em:
12 Maio, 2021

Faça o seu pedido de consulta com Sabrina Ladeira Cunha

A Terapia Ocupacional e a Infância
Problemas de Desenvolvimento na Infância

A infância é uma etapa profundamente desafiante sob todas as dimensões do crescimento e desenvolvimento, entender o seu processo na totalidade é um desafio ainda maior.

O desenvolvimento normal de uma criança tende a seguir uma certa linearidade gradual, seguindo padrões normativos em vários domínios, permitindo à criança realizar funções cada vez mais complexas. (1) Algumas crianças nos primeiros anos de vida manifestam dificuldades mais ou menos acentuadas no seu desenvolvimento, resultantes de várias condições, sendo habitualmente descritas na literatura como um Atraso Global do Desenvolvimento, sendo este um termo habitualmente usado para referenciar crianças com “idade inferior ou igual a cinco anos”. (2)

Atraso Global do Desenvolvimento

O Atraso Global do Desenvolvimento pode ser definido como um atraso significativo de dois ou mais desvios-padrão abaixo da média da idade das crianças da mesma idade em duas ou mais áreas do desenvolvimento (motricidade fina e/ou grossa, cognição, linguagem ou competências sociais e pessoais e atividades da vida diária). (3,4,5) A DSM-5 (6) esclarece que o Atraso Global de Desenvolvimento é diagnosticado quando uma criança com menos de 5 anos não atinge os marcos do desenvolvimento típico em várias áreas. Refere ainda que o diagnóstico surge quando a gravidade do nível de desenvolvimento da criança não pode ser avaliada clinicamente de forma fiável, recorrendo a testes padronizados, e exige uma reavaliação depois de algum período de tempo. Muito embora os vários autores referenciados mencionem ser o diagnóstico realizado em crianças com idade inferior a cinco anos, em Portugal esta expressão é também habitualmente utilizada para descrever crianças que podem ter mais de cinco anos, mas que ainda não frequentam o ensino básico. (7)

A criança pode demonstrar dificuldades em engolir, a mastigar, na coordenação óculo-manual, na representação da figura-humana, no esquema corporal, na resolução de problemas, na aquisição da independência em atividades do dia-a-dia como na alimentação, banho, vestir e despir bem como dificuldades em entender relações entre pessoas e objetos. (8)

Os Terapeutas Ocupacionais que trabalham com crianças têm conhecimento sobre os diferentes estádios de desenvolvimento e quais as competências a alcançar em cada fase, no que diz respeito ao desenvolvimento físico, cognitivo e comportamental.

Como pode o Terapeuta Ocupacional ajudar?
  • Avaliar o desempenho (motor, cognitivo e emocional) da criança nas áreas críticas de desenvolvimento;(1,8,9,10)
  • Observar os contextos nomeadamente o contexto escolar e domiciliário e averiguar a necessidade de adaptações;(1,8,9,10)
  • Desenvolver um plano de intervenção, tendo em conta todos as competências avaliadas;(1,8,9,10)
  • Estimular o brincar;(1,8,9,10)
  • Estimulação sensorial;(1,8,9,10)
  • Desenvolver rotinas apropriadas à faixa etária e fomentar a participação ativa nas atividades de vida diária.(1,8,9,10)
E os pais, como podem ajudar?
  • Envolvimento no plano de intervenção;(8,9,10)
  • Troca de informação com os profissionais de saúde que acompanham o plano de intervenção;(8,9,10)
  • Aquisição de conhecimentos através dos profissionais nomeadamente: o conhecimento de cada etapa do desenvolvimento;(8,9,10)
  • Realização de atividades e/ou aquisição de brinquedos, recomendados pelo terapeuta, de acordo com a fase de desenvolvimento da criança, com possíveis formas de adaptar e graduar;(8,9,10)
  • Realização de um registo simples que pode ser realizado com um meio digital (por exemplo: fazer um vídeo) para verificar a evolução do processo de intervenção.(8,9,10)
Autora

Sabrina Ladeira Cunha (CP C-050560182) Terapeuta Ocupacional no CMV-Centro Médico de Viseu.

Revisão da Literatura

1)Terapia Ocupacional – Fundamentação e Prática. Cavalcanti , A. e & Galvao, C. . 2007, Guanabara Koogan.
2)Avaliação e Investigação Etiológica do Atraso do Desenvolvimento Psicomotor / Défice Intelectual. Saúde Infantil,. Oliveira, R., et al. 2012, p. 5.
3)Developmental Delay – Causes and Investigation. ACNR. Walters, A.V. 2010, pp. (volume 10; number 2), 32-4.
4)Atraso Global do Desenvolvimento Psicomotor. Ferreira, J.C. 2004, Rev Port Clin Geral, pp. 703-12.
5)Mundo da Criança. Papalia, D., Olds, S. e & Feldman, R. 2001.
6)Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais, DSM-5. American Psychistric Association , APA. s.l. : Edição Artmed, 2013.
7)Atraso do desenvolvimento: A imprecisão de um termo. Silva, E. e & Albuquerque, C. 2011, Psicologia, Saúde & Doenças, pp. 12(1), 19-39.
8)Marques, A. e Trigueiro, M.J. Enquadramento da Prática da Terapia Ocupacional: Domínio e Processo. s.l. : Livpsic, 2011.
9)WFOT. Federação Mundial de Terapeutas Ocupacionais. [Online] http://www.wfot.org/.10)Pratical Considerations for School-based Occupational Therapists. Pape, L., Ryba, K., & Case-Smith, J. s.l. : Montgomery Lane: AOTA Press, 2004.

Outros artigos
Siga-nos